O tempo passou desde que alguns dos brasileiros foram às ruas para protestar. Desde então, piadas circularam nos meios sociais abertos (Facebook, que eu não tenho) e fechados (WhatsApp) e, de maneira mais intensa, muita gente discutiu e debateu sobre o tema nas ruas. Mas um tema ainda foi pouco questionado: a razão disso tudo que aconteceu.

Ontem, conversando com meu amigo Tuca, chegamos ao consenso de que parte do problema resulta de uma construção midiática para “fritar” o Lula e fechar as portas de sua possível reeleição em 2018. Mas essa necessidade de fritar o cara está saindo caro, pois a crise provocada pela mídia poderá causar alguns efeitos colaterais irreversíveis (como uma forte e intensa crise econômica no país). Será que vale a pena? Além disso, a popularidade dele é tão forte que dificilmente tais manobras fossem suficientes, eu acho.

Bom, mas outra questão fica sem resposta. Aos que pensam em tirar a Dilma por impeachment, conviver com o Michel Temer (PMDB) como presidente e Eduardo Cunha (PMDB) como vice pode ser uma boa solução para renovar a política brasileira? Será que teremos um país mais digno e honesto? Pretendo não comentar a existência do Aecio Neves neste post, mas os que me conhecem sabem o que penso sobre o carcamano. Então, será que os protestos não foram equivocados no quesito tema?

Pois o Datafolha, aquele instituto de pesquisa que sempre foi acusado de pender para a desconstrução da DIlma nas eleições passadas, surpreendeu e publicou um pesquisa de opinião realizada durante os protestos que revela um interesse maior em protestar contra a corrupção no Brasil, e não contra a Dilma ou pelo impeachment dela. Claro que alguns ainda apertem essa tecla, tentando um terceiro jogo após duas derrotas nas urnas, em 2014. Mas esse jogo também será perdido. A diferença é que os derrotados serão todos os brasileiros residentes no país.

Daí me pergunto se essas pessoas (os 210 mil ou 1,2 milhão que estiveram na avenida Paulista, além dos outros protestantes interestaduais) têm moral para brigar contra a corrução. Esses cidadãos do bem sonegam impostos? Essas pessoas fazem gato na internet e na televisão a cabo? Esses brasileiros compram em sites de comércio eletrônico ao invés de comprarem nas lojas e pagarem impostos que jamais voltarão? Pois é, atitudes como essas também representam corrupção. Todos temos telhado de vidro. Todos somos corruptos em algum momento. Além disso, se a política brasileira é corrupota é porque o Brasil é corrupto. Afinal, quem escolhe os políticos é o povo.

Por essa e outras razões reflito sobre minha vida. Esses pensamentos, que vêm e não vão, zumbem em minha cabeça desde o final do ano passado, quando a Dilma foi eleita. Porém, ganharam intensidade absoluta desde o panelaço, e o zumbido aumentou. Fico pensando se a tatuagem que tenho na nuca é digna para estar ali. Fico pensando sobre o que eu faria hoje se hoje fosse dois anos atrás. Tenho a resposta, e ela me incomoda muito.

Anúncios